quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Leilão de Calcinhas Usadas

MULHERES ESTÃO GANHANDO DINHEIRO VENDENDO CALCINHAS USADAS PELA INTERNET!



Sabe aquela pilha de roupa no seu banheiro que você está enrolando desde a semana passada para lavar, mas ficou com uma preguiça e deixou tudo lá acumulando? Amiga, não lava não, porque você pode ficar rica com isso!


Isso mesmo que você leu, colega, tem mulher vendendo e gente comprando a calcinha suja ou usada na internet e faturando quase R$ 400!

money-gif

Gente, vou ficar rica!


A moda começou nos EUA, que já tem até sites como o PantyDeal.com e o SellPantiesForMoney.com para te ajudarem na venda. Quem compraria isso?  Pessoas que sentem prazer em cheirá-las.

Apesar que nem precisa ir muito longe não miga, uma leve pesquisada no mercado livre, você já encontra brasileira faturando com esse tipo de coisa:


Em época de crise, a gente vende até as calcinhas… Literalmente!

Imagina aquelas fãs do Wando vendo isso hoje e pensando no dinheiro desperdiçado com calcinhas jogadas no palco para ele? Aliás, o parente que herdou a coleção de calcinhas do cantor que faleceu em 2012, tá milionário e nem sabe! Fonte divadepressao


Já prevejo diminuir o roubo de calcinha!
Eu achei a ideia super ótima e já separei uma caixa aqui, porque os boletos não vão se pagar sozinhos. Só me veio uma questão agora…

Faça o Seu Lance acima de R$ 50,00 em comentários para a Calcinha Abaixo:
Você vai recebê-la em seu endereço após confirmar seu endereço... 

domingo, 6 de novembro de 2016

Você teria coragem de comprar/vender uma calcinha usada?

As brasileiras reclamam da crise, da falta de oportunidade no mercado de trabalho e afirmam que esta é uma prática segura, onde elas não correm nenhum risco, pois somente a calcinha é comercializada.

Você teria coragem de comprar/vender uma calcinha usada?


As vendas na #Internet não param de crescer e comprar online é algo que já se tornou comum no mundo inteiro. Até um certo tempo atrás, o e-commerce era um grande risco, mas atualmente se tornou tão comum que as pessoas já conseguem comprar de tudo online, desde calçados, livros, roupas, perfumes, flores e até calcinha usada. Isso mesmo. Tem uma estudante que usa a calcinha e depois anuncia na internet e ela tem conseguido um bom dinheiro com este seu empreendimento.


Uma jovem unviersitária na cidade de Hampshire, em Inglaterra, tem 21 anos e prefere não ser identificada. Ela revelou, em entrevista para o jornal The Independent, que mesmo pagando uma taxa para o site onde as calcinhas usadas são comercializadas, tem conseguido uma boa renda e pretende até alavancar seu negócio, pois garante que tem algumas garotas que estão comercializando outros "fluídos corporais" e que ela já pensa fazer o mesmo.
Uma prática muito comum na Internet são as garotas que cobram para ficarem se exibindo diante da câmera, mas nem todas concordam com esta prática porque é preciso se expor e muitas são tímidas ou temem que a família descubra. Entretanto, vender calcinhas usadas para elas é algo mais atrativo, porque não precisam mostrar o rosto e as pessoas nem sabem que elas são das donas do empreendimento, pois apenas são mostradas fotos das calcinhas usadas. A prática é lucrativa e as jovens conseguem dinheiro para pagar todas as despesas e até mesmo para fazerem faculdade.


A venda de calcinhas usadas vem crescendo muito aqui no Brasil por vários motivos:
  • é um negócio seguro, já que a garota não corre risco de vida, como acontece com aquelas que fazem "programas sexuais";
  • a garota não precisa mostrar o rosto, então o trabalho se torna completamente anônimo;
  • possibilidade de ampliar as vendas, vendendo também sutiã usado, batom usado, entre outros objetos.

No Brasil, num dos maiores sites de vendas online, é possível encontrar calcinhas usadas com preços que variam de R$ 30 a R$ 50 e por incrível que pareça, não têm faltado compradores.

Deixe abaixo seu comentário



A calcinha e a mulher


Embora hoje em dia essas sejam peças cada vez menores – e que, muitas vezes, nem sejam usadas – as calcinhas já foram algo enorme, cheio de panos, usado pelas mulheres. Mas isso, por incrível que pareça, demorou a acontecer e a virar moda. Isso porque nos primeiro 5 mil anos da civilização ocidental as mulheres simplesmente ignoravam a ideia de colocar um pano a mais em suas vestimentas, a fim de tampar as partes íntimas, já tão bem escondidas pelas saias intermináveis.

Conforme registros históricos sobre o assunto, a única roupa íntima que a mulherada costumava usar, pelo menos até o final do século 18, era um alonga bata, bem parecida com uma camisola. As mais abastadas e de família nobre, no entanto, começaram nesse período a usar blusas com botões na altura da cintura ou espartilhos. Mesmo assim, na parte de baixo, só mesmo os pelos naturais faziam as vezes de cobertura!



6Um pouco mais para frente, as anáguas viraram moda. Mas, elas também não cumpriam bem o papel de roupas íntimas, já que consistiam em outras saias, normalmente volumosas, que as mulheres acumulavam embaixo dos vestidos para dar a impressão de um quadril maior e mais gordinho (já que as pessoas mais fofinhas eram consideradas as mais ricas e belas na época).


Aliás, encobrir “as partes” só era mesmo uma preocupação durante os períodos menstruais, quando as mulheres usavam uma espécie de tanga – muito parecida com o que os lutadores de sumô usam em combate – para estancar o sangue.  Inclusive, foi só no século 19, que as Inglesas – conhecidas na época por serem mais higiênicas que as demais europeias – começaram a usar uma espécie da calça frouxa por baixo das saias, muito parecidas com as usadas pelas odaliscas (como no caso da princesa Jasmine, de Aladdin).



Foi então que não demorou muito para as calças turcas, como ficaram conhecidas essas peças; se transformarem nos bloomers, vestimentas mais ajustadas ao corpo, com fitas na cintura para segurá-las. Esse, aliás, era um artigo de luxo, usado por mulheres e homens nobres, com exceção das bailarinas francesas, que eram obrigadas por lei se tampar por debaixo das saias desde 1727, quando uma delas acidentalmente caiu de perna aberta e revelou seu “tesouro” ao público.






Em meados do século 19 é que as coisas começaram a mudar. Nessa época, as mulheres começaram a reivindicar o direito de usar vestidos mais curtos (na altura dos tornozelos). E, para isso, a líder da “revolução”, Elizabeth Smith Miller, encorajava a mulherada a usar bloomers (até a altura dos joelhos) embaixo das saias.

Depois disso a ideia de tampar as “condenadas” começou a ser melhor aceita entre as mulheres. Houve, aliás, dois eventos históricos que marcaram de vez a adaptação completa do público feminino ao que seria os protótipos das calcinhas que conhecemos hoje: a popularização do elástico, a partir de 1876; e a invenção da bicicleta com corrente, na década de 1890.



1Juntos, esses eventos incentivaram o uso das roupas íntimas, tornando seus materiais mais acessíveis e atribuindo maior conforto às mulheres, especialmente as francesas, que queria aproveitar a diversão das bicicletas sem expor suas “vergonhas”. Essa moda, inclusive, foi logo trazida para as Américas pelas estudantes americanas, que de férias, não tinham medo de usar suas peças inovadoras em público. Daí por diante, então, a tendência só ganhou força e foi evoluindo, ganhando rendas e, com o tempo, se tornando um artigo “poderoso” do guarda-roupa feminino. Fonte: FatosDesconhecidos



A mulher interessada em vender as suas calcinhas deve fotografar-se com sua calcinha em seu corpo (conforme foto ao lado) e enviá-la para o nosso e-mail com o título: Quero vender minhas calcinhas no leilão - segue foto.

Divulgaremos as sua(as) fotos nesse blog/site e em site de classificados pela internet...
Os pedidos dos interessados serã feitos via email acima ou por telefone via aplicativo wowapp (sememlhante ao whatsapp) Clique aqui e baixe o aplicativo e ganhe créditos de celular ao adicionar amigos para também usar o aplicativo.


terça-feira, 11 de outubro de 2016

Colecionador de Calcinha de Mulher Casada do Facebook

Conversando com uma mulher no facebook a meses chegamos ao ponto que todo homem quer ´putaria`.

Resultado de imagem para calcinha de casadaCasada 44 anos, morena clara, quadril largo, marido empresário, muito bem cuidada, dai papo vai papo vem, ela me disse que nao era mais desejada pelo marido e que ele nem a procurava mais...Mas ela tinha muito medo de trai-lo, logo que começamos as brincadeiras na cam, quase sempre eu gozava pra ela ver pela cam,  ela então me mostrava a sua calcinha muito molhada. Fui sempre sugerindo um encontro com ela, mas com medo e sempre correndo, um dia lhe disse que iria na sua casa pra ela me dar uma calcinha pra mim gozar e que só assim ela sentiria meu sabor, foi aí que ela mandou eu ir lá. Cheguei, toquei o interfone, ela ja abriu e mandou que eu entrasse, e já estava com a calcinha na mão, e louca de medo do marido, peguei a calcinha dei só um selinho e um conferis e saí. Ela logo depois me ligou e me disse que na hora que ela fosse para a academia queria a calcinha de volta, iria malhar com a bucetinha melada e que estava louca de tesão. entao logo sujei aquela calcinha de renda azul cavadinha de porra e guardei. Quando foi a tarde ela me ligou e disse o lugar para eu entregar a aclacinha a ela, chegando lá, ela me entregou uma sacola com mais três calcinhas que ela tinha ido malhar no dia anterior. Peguei a sacola e logo ela saiu. 
Resultado de imagem para calcinha molhada de casada

Fui para casa e quando abri a sacola fiquei maluco era uma calcinha branca fio dental, cujo forrinho estava amarelinho, encardido, ela devia ter malhado com ela e depois se masturbado, a calcinha estava com um cheiro muito bom de buceta e cu, a outra calcinha, uma roxinha de lycra cavadinha mas muito molhada que logo meti a boca e senti o gosto de sua buceta. Uma terceira calcinha era uma boxer branca, essa tinha até uma freiada atrás com um cheiro de cu muito bom. Passei a noite cheirando essas calcinhas e me imaginando em cima daquela cavalona. No outro dia ela me ligou e disse pra mim ligar pro marido dela e falar pra ele que eu queria a chave do apartamento deles que estavam pra alugar, e que ela iria dar um jeito pra ir me mostrar, e que nós iríamos transar lá, que foi a única ideia que ela tinha achado sem risco para traí-lo. Assim eu fiz, liguei para o marido dela, que logo disse:

- Então passa aqui às 3 horas, que a minha esposa vai lá mostrar pra vc, cheguei e ela já estava esperando. Tinha tomado um banho e estava com um vestido do tecido molinho que deixava seu corpo todo a mostra, ela logo me falou pra subirmos, começamos uns amassos ja na sala do apartamento, nos atracamos, ela tirou o vestido, ficou só de calcinha eu caiu de boca na minha vara, mamou por uns 20 mim. Ela em seguida se levantou tirou a calcinha e me mostrou que tinha gozado nela e que era pra eu guardar aquela calcinha. Me abaixei e chupei ela de pé, as pernas dela tremiam, chupei até ela bambiar e pedir pra ser penetrada. 

Resultado de imagem para calcinha molhada de casadaDeitei-me ao chão e enfiei meus 20cm de rola naquela buceta maravilhosa e cheirosa, ela rebolava e gritava como uma cadela. me pedia pra eu colocar um dedo no cu dela. Coloquei ela de costa e meti a lingua naquele cu lisinho, molhei bem com a lingua e foi outra luta pro meus 20cm entrar, mas quando entrou, ela chorava e suava numa mistura de dor e prazer, meti muito e ela foi ficando mole e gozei no rabo dela, logo ela colocou a mão para nao escorrer a porra pegou uma calcinha boxer na bolsa e vestiu. 
Vesti minha roupa, ela vestiu o o vestido e saimos suados e mortos de cansados. Entramos no carro e ela me disse que eu iria ter que fazer os desejos dela toda vez que ela quisesse. Desde então, de uns 8 meses pra cá tenho a tarefa de lambuzar as suas calcinhas de porra pra ela ir para a academia. Transamos com frequencia e estou cada vez mais louco pelas loucuras dela, toda semana tem calcinha nova de pressente ra gozarmos. Já não sei onde mais guardar tantas. Já tenho várias calcinhas dela e de outras mulheres guardadas aqui em casa, mas adoro muito isso. Amo o cheiro, o tecido, a sensualidade das mulheres que curtem isso.




Mulher deixa marido por causa de calcinha

Vanessa não aguenta mais saber que Ramiro gosta de usar lingerie e quer der um basta nessa mania! O marido diz que não vai parar: "Ou é isso, ou não uso nada!".


tenho receio que vire rotina, minha mulher quer que eu use calcinha

Leitor: Me diz o que faço, temos mais de 30 anos de casados, minha esposa sempre foi fiel, nunca percebi nada, dias desses ela começou a pedir que eu pusesse uma calcinha fio dental, que ela comprara errada, (pois nunca usou) tentou vários dias até que um desses eu pus, confesso que gozamos muito alem do normal, agora ela diz que vai comprar uma preta de rendinha, só pra mim, eu disse que jamais vou usar, ela falou… se vc quiser eu uso uma cueca sua, mas adoraria te ver com um fio dental de rendinha (pois tenho a bunda bem redondinha), não sei que passa na cabeça dela, agora o que faço? tenho receio que vire rotina, ela diz: aki entre 4 paredes ninguém vai saber amor… e ai…?


Sua esposa é uma tremenda de uma espertinha! Tá na cara que ela já comprou a dita calcinha de caso pensado, ou seja, ela comprou com a intenção de convencê-lo a usar. Entendo que, de início, a proposta dela pode parecer assustadora para um homem sexualmente pacato.

Mas isso que sua mulher está lhe propondo é mais comum do que se imagina e já tem até nome: cross-dressing, prática que consiste em usar objetos ligados ao sexo oposto por diversas razões que podem ir desde motivos profissionais até a simples obtenção de prazer sexual durante uma transa, como é o caso de vocês e eu até me arriscaria  dizer que o prazer disso tudo se encontra justamente em poder se sentir no outro através do uso de um objeto que está diretamente ligado ao seu sexo. É como se através dessa troca de peças de roupas vocês estivessem psicologicamente trocando de sexo e talvez esse seja o grande barato embutido nessa prática para muitos casais.

Apesar de achar estranho, você parece ter gostado e muito da novidade. Prova tal foi que gozou como se estivesse em lua de mel. O que parece estar te afligindo apenas é o fato de isso fugir ao convencional. Mas em trinta anos de casados, sua esposa já deve estar cansada de fazer apenas o tradicional, e provavelmente esteja querendo apenas oxigenar, dar uma sacolejada na vida sexual de vocês. Parece que deu certo e embora você não se sinta psicologicamente à vontade para repetir a dose, você não precisará ficar usando peças intimas femininas (se não quiser) sempre para apimentar a relação se também tomar atitudes para movimentar a vida íntima de vocês, já que, ao que tudo indica, é o que sua esposa pretende com essa proposta.


Então, por que você não a chama para fazerem uma visitinha a um sex shop e lá escolherem produtos que nunca tenham usado? Garanto que essa peregrinação sexy a uma loja dessas mexerá e muito com a libido de vocês. Se não quiser fazer esse passeio com ela em uma sex shop para ela não cair na tentação de querer comprar outra calcinha para você (rsrsrsrsrs), por que não vai sozinho a uma dessas lojas e compra algum acessório do seu agrado e manda entregar juntamente com um bilhetinho bem safadinho com a assinatura de algum pseudônimo, só para criar um clima engraçado como se fosse algum admirador secreto dela, mas que pela letra ela saiba que se trata de você e manda entregar na casa de vocês? Garanto que quando você chegar, ela vai estar pegando fogo e louca para usar os tais acessórios.

Poderia também em um fim de semana propor a ela assistirem a um filme sensual como De Olhos Bem fechados, Último Tango em Paris completamente pelados como se fossem dois adolescentes. Acho que só o fato de serem duas pessoas que já estão na meia idade fazendo coisas íntimas como se fossem dois adolescentes já pode dar uma sacudida e tanto na vida sexual de vocês, pois poderá trazer à tona muita coisa boa do início do relacionamento.

Também poderia criar um ambiente especial no quarto ou na casa de vocês para fotografar sua esposa de lingerie para compor uma espécie de álbum erótico só de vocês. Tenho certeza que ela se sentiria incrivelmente sexy com todo esse clima. Mas se for fazer isso, cuidado para não deixar as fotos vazarem.

Digo tudo isso para você demonstrar à sua esposa que também deseja apimentar o relacionamento de vocês, e passe a oferecer a ela novas experiências e sensações que possam fazê-la esquecer desse fetiche de querer vê-lo vestido com as peças íntimas do vestuário feminino. Essa talvez seja uma boa maneira de você se livrar dessa saia, digo, calcinha justa (rsrsrsrs) de forma sutil, sem magoar sua esposa e com grandes chances de otimizar a relação de vocês.

O comum é ter o caso contrário, assista nesse vídeo ao lado!

Enquete: Devo deixar meu marido usar calcinha?

Olá amigos do Clube Colecionadores de Calcinhas, bom dia!

Eu sou casada há 5 anos e já faz 2 anos que meu marido me confessou que a sua fantasia sexual era usar calcinhas. No início eu achei super estranho mas com o tempo fui aceitando. Eu levei 1 ano para aceitar , mas agora eu admito que até gosto de vê-lo utilizando as minhas calcinhas.
Contudo , as vezes me sinto meio culpada ... pensando se isso seria muito bizarro.
O que vcs acham ? Existe algum problema em deixar meu marido usar minhas calcinhas?

(Sabrina) Enviando por e-mail.



Eu podia te dar uma opinião clichê que ao meu ver beira a hipocrisia e dizer que “desde que haja amor tudo é válido”, e acho que essa frase pode até ser verdadeira em alguns casos, que pode não ser o seu. Acredito que fora o amor, é importante encontrar uma pessoa com mente aberta, sem muitos preconceitos, e há quem diga queuma pessoa fetichista seria melhor ainda!! É claro que havendo amor tudo fica mais fácil, mas o bonito na frase nem sempre fica válido na prática.
Por esses tempos perguntei para nossos seguidores do facebook o que eles acham de homens que vestem calcinhas, e como esperado, muitos acharam um fetiche um tanto quanto estranho, outros vieram em “off” me dizer que isso é coisa de quem joga no outro time, porém, uma pessoa comentou que não entende o motivo das mulheres poderem usar cuecas e ninguém achar estranho (ao contrário, muitos homens acham a coisa mais sexy do mundo!), e os homens não poderem usar calcinhas!! E realmente isso é algo a se questionar: por que não?!
Acredito que o maior desafio para muitas mulheres é ter certeza de que você realmente deseja elas e não um homem. Mesmo você sendo um hétero muito bem resolvido, infelizmente muita gente ainda associa esse fetiche com a ideia do homem ser gay. Assim, não fica muito difícil pensar que se a mulher achar que você joga no outro time, ela poderá acabar se afastando não por preconceito devido à sua orientação sexual, mas sim por medo de você não gostar dela, e ela não poder te satisfazer, entende? Se você conseguir convencer sua parceira que você é “muito macho sim senhor”, acredito que será meio caminho andado para você ser aceito, de calcinha e tudo!!!
Como disse anteriormente, muita gente acredita que esse desejo é coisa de gay enrustido, e quando acrescentamos isso ao fato do mundo ainda ser muito machista, não fica difícil prever algumas possíveis dificuldades. Vale a pena lembrar que muitas vezes as mulheres são muito mais machistas do que os próprios homens, e fora isso, ainda reza a lenda de que mulher gosta de “homem 100% macho, de cueca boxer de preferência!”. Nisso acaba havendo a possibilidade de mesmo que ela acredite que você é 100% hétero, ela ainda assim não sinta tesão em te ver de calcinha por ver nisso uma posição feminina e frágil, coisa que pode acabar criando uma sensação de que você é tão “feminino” quanto ela.
Acredito que esse fetiche também dependerá muito do gosto pessoal de cada pessoa. É claro que o machismo e a necessidade de “ser protegida” acaba afastando muitas mulheres desse fetiche, porém, ainda assim vestir calcinhas pode ser considerado como uma questão de gosto: sabe aquela pessoa que não gosta do verde? E a outra que ama, mas não gosta do azul? Pois é… Mesmo que você convença sua mulher de tudo o que foi dito acima, é importante você encontrar alguém que nutra esse gosto em comum contigo.
Por fim, você já parou para procurar comunidades que tem mulheres que gostam de homens de calcinhas? Acho que essa pode ser uma saída “mais direto ao ponto”, e que te poupará maiores procuras e preocupações em ter que “tentar adivinhar” qual é o gosto das mulheres da rua. Sem contar que acredito que no mundo tem mais gente fetichista do que imaginamos, mas que como nem sempre falam sobre isso abertamente, acabam sendo “descobertos” em comunidades específicas. Acho que todo mundo vive melhor quando se sente parte de um grupo, basta você procurar o seu, que com certeza existe!
Já assistiu minha opinião pessoal nesse vídeo?
al nesse vídeo?


Homem que roubava e cheirava calcinhas estava usando a peça íntima quando foi morto a tiros

Um homem foi morto na noite desta quinta-feira (13), no povoado Figueiredo, zona rural de Pari-conha Estado de Alagoas. Moacir Canuto dos Santos, 40, estava na sua residência assistindo televisão quando foi alvejado com três tiros de revólver calibre 38. Os tiros acertaram a cabeça da vítima que teve morte instantânea.


Segundo o chefe de operações da 33ª DP de Pariconha, Zé Lobinho, a vítima era acusada de roubar calcinha das mulheres do povoado, além de roubar, Moacir também cheirava e usava as calcinhas das vítimas.
O corpo de Moacir foi levado para o Necrotério da Unidade de Emergência e para a surpresa dos policiais, ele estava usando uma calcinha de cor vermelha quando foi morto. O caso será investigado pela equipe do delegado Rodrigo Rocha Cavalcanti.
Até o momento a polícia não sabe se os roubos de calcinhas têm relação com a morte de Moacir Canuto dos Santos.

            A vítima usava uma das calcinhas roubadas

Grife mineira cria lingerie com renda para homens

Roupa íntima tem ainda detalhes em fitas que lembram uma calcinha


Uma fábrica de roupa íntima masculina decidiu inovar e apostar em um público mais irreverente ao fabricar cuecas com rendas e laços de fitas que lembram uma calcinha. A ideia foi da empresária mineira Herika Secundino, criadora da HSMen's.

“Estudei muito o mercado. Há homens que usam calcinhas em vez de cuecas, o que é extremamente confortável para eles”, disse a empresária.

http://e-ib2.sttc.net.br/uploads/

http://e-ib3.sttc.net.br/uploads/

http://e-ib5.sttc.net.br/uploads/

https://4.bp.blogspot.com/-xrE4UVatTj0/V4EqfErYLwI/AAAAAAAAMmg/ygTwfv_XG5AUfpLxVWDHieqWVi0mWMIDwCKgB/s640/

vereadora discursa sem calcinha na Câmara de Aracajú-SE

  • Parlamentar reclamou de declaração considerada machista de colega - Foto: Divulgação | Câmara de Vereadores
    Parlamentar reclamou de declaração considerada machista de colega
Uma vereadora da Câmara de Aracaju fez um protesto inusitado no plenário da Casa. Lucimara Passos (PCdoB) retirou uma calcinha do bolso durante seu discurso e disse que não estava usando a peça íntima. A atitude era para criticar o parlamentar Agamenon Sobral (PP), que teria chamado uma mulher que queria se casar sem calcinha de vagabunda, além de afirmar que ela merecia uma "surra".
A vereadora chamou o colega de "criminoso" e desafiou ele a te dar uma "surra". "Hoje vim com um vestido mais curto. Também trouxe a minha calcinha no bolso. Alguém pode me chamar de vagabunda? Alguém pode dizer que tenho de ser surrada?", perguntou.
A parlamentar defendeu que uma mulher não pode ser julgada pela roupa que veste ou se está ou não de calcinha. Ela pediu que Agamenon seja punido. O vereador criticou a atitude da colega e disse que ela queria "aparecer". Ele também pediu que a Comissão de Ética investigue o caso.
Fonte A tarde

https://4.bp.blogspot.com/-wq9svdVC-Yc/V4EqZWAj02I/AAAAAAAAMmc/g3bbsOiXx840I5C3q0nSScXMaT-3e7XvgCLcB/s640/

sábado, 9 de julho de 2016

A Calcinha Certa

Quem disse que só porque ela não aparece, não deve ser escolhida com cuidado? 
calcinha, companheira diária da mulher, deve sim receber atenção especial na hora da escolha. Cada tipo de corpo ou situação pede um modelo diferente.
Na hora de provocar naquele vestido mais justo, prefira as lingeries que não deixam marcas aparentes.
Agora se o look for transparente, melhor preferir modelagem básica, sem rendas ou bordados. Prefira também os tons de pele.
Para uma festa, escolha os modelos altos, com reforços e tecidos fortes. Além de comprimir o abdômen e reduzir medidas, estes modelos ainda moldam a silhueta.
Ao escolher o visual é preciso pensar na calcinha sim. As muito apertadas marcam e fazem aparecer as gordurinhas. As muito largas prejudicam o caimento. Para roupas justas ou tecidos fluídos, o ideal é escolher modelos fio-dental. Para calças jeans, basta que o modelo e o tamanho sejam adequados ao seu biótipo.
Você pode não perceber, mas muito da sua saúde íntima tem a ver com a calcinha que escolhe. Tecidos como a supermicrofibra deixam o corpo respirar melhor, secam com mais rapidez e eliminam o suor mais facilmente. Algodão, modal e microfibra também têm alta absorção de umidade.
Confira abaixo algumas dicas:

Quadril largo

http://mlb-d1-p.mlstatic.com/Escolha calcinhas que não marquem. As ideais são as de laterais mais largas, que dêem boa cobertura dos lados.








Quadril médio

http://img.lingerie25.com.br/Imagens/produtos/10/01710/
Esse quadril se adapta aos vários tipos de modelagens de calcinhas, desde tangas a modelagens hipster (cintura baixa e lateral larga).





Quadril estreito

http://www.dhresource.com/albu_394100396_00-1.600x600/Podem usar várias modelagens, desde as string, super confortáveis e que não marcam o bumbum, até as cavadas, as de cintura baixa e as hipster.


Com culote

http://img.ph2-jpg.posthaus.com.br/Web/posthaus/foto/moda-intima/cintas-e-modeladores/Se você tem culote, precisa de uma calcinha que modele os quadris com laterais largas em tecidos fortes e resistentes. As bermudas redutoras também ajudam a modelar sem apertar e ainda comprimem abdômen e coxas.





Barriga saliente

https://sossrtabrito.files.wordpress.com/2016/02/Prefira calcinhas de cintura alta, com reforços adicionais em tecidos fortes e resistentes.

Cintura larga, gordura localizada e estômago alto

http://1.bp.blogspot.com/-nVZ6j7_rN2g/UuvCaJKEWSI/AAAAAAAAAM0/K1AsEhZprm8/s1600/Procure calcinhas de cintura alta, com reforços adicionais em tecidos fortes e resistentes. Invista nas bermudas modeladoras de cintura alta - elas ajudam a modelar sem apertar.

Cintura larga, gordura localizada e culote

https://encrypted-tbn3.gstatic.com/
Aposte nos modeladores. Eles têm reforços adicionais e permitem compressão ideal na área do abdômen e costas. Dependendo do tipo, eles modelam até a região do seio. Fonte VilaMulher








A historia da Calcinha

A história da calcinha
Calcinha (em São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau, Moçambique e Brasil) ou cuecas (Portugal e Angola) é uma roupa íntima feminina constituída por uma espécie de short curto, ajustada ao corpo da mulher e feita na maior parte das vezes de tecidos macios e delicados, como o algodão, por exemplo.

Calcinha é um tipo de roupa de baixo usada por mulheres. É usada sob a roupa protegendo a vulva, e as nádegas de contato com a roupa externa. Também pode ser usada para dormir ou simplesmente sem roupa alguma por cima da mesma. O equivalente para os homens é tradicionalmente a Cueca. Mesmo com estilos e designs bem diferenciados, existem aqueles que preferem utilizar a roupa do sexo oposto, seja por conforto ou fetiche.


Surgiu por volta de 1800 na Europa o primeiro modelo da calcinha chamado de calção, que chegava abaixo dos joelhos. Posteriormente, popularizou-se entre as mulheres.

Aquilo que a mulher usa por baixo da roupa tem um significado todo especial para o universo masculino. Mas não apenas para ele. A calcinha, acredite, diz muito da história da mulher, representa sua trajetória e, mesmo escondidinha, não deixa de ser motivo de rostos corados, risadas e, às vezes, constrangimento.

A história dessa importante peça do vestuário - que tem pouco mais de dois séculos de existência - é descrita no livro "Por baixo do pano - a história da calcinha", da autora inglesa Rosemary Hawthorne (Matrix Editora). Segundo ela, a calcinha apareceu pela primeira vez em 1800, quando a revolução havia mudado a França e, por consequência, toda a Europa.

Na época, as mulheres passaram a usar elegantes vestidos de cintura alta, inspirados na vestimenta das gregas antigas. Mas esses "vestidos império", super sensuais, deixavam as partes baixas arejadas demais.

Surgia então o primeiro modelo de calcinha, chamado de calção ou "pantaloon’, que chegava abaixo dos joelhos ou até os tornozelos e era feito de um tecido "cor de carne" semelhante ao das meias-finas. Antes disso, nenhuma mulher respeitável usava calcinhas.

O livro traz ainda a relação da feminista americana Amelia Bloomer com a calcinha e chega até o modelo fio-dental, bem difundido aqui no Brasil. A autora dessa obra, hoje uma das maiores autoridade britânica em história da roupa íntima, conversou com o Vila Dois e explicou porque a calcinha está relacionada tanto à moda quanto aos direitos da mulher.

Rosemary é conhecida hoje no Reino Unido como "Knicker Lady", ou a "Dama das Calcinhas", nome do espetáculo solo que apresenta com sucesso nos palcos do país.

Por que você escolheu esse tema para pesquisar e escrever sobre? Quanto tudo começou?
Acho que o assunto me escolheu. Eu tenho colecionado roupas antigas e vintages por anos, incluindo calcinhas. Um dia, uma estudante que estava fazendo um trabalho sobre o uniforme das meninas me perguntou de onde vinha a palavra "Bloomers". Eu estava contando de onde ele veio [se refere ao nome da feminina Amelia Blommer, uma das primeiras a usar aqueles shorts com babadinhos por baixo dos vestidos] quando ela disse que não encontrava tal resposta em livro algum. Aí então eu resolvi escrever sobre sutiãs e depois sobre ligas e meias-calça. Um conjunto todo sobre lingeries.

Qual a importância da calcinha hoje e como essa "importância" viajou ao longo dos anos?
Hoje é importante porque faz parte de uma indústria muito lucrativa. As mulheres estão acostumadas a usá-las, desejá-las e comprá-las e isso não vai mudar nunca. Até porque elas nunca tiveram esse tipo de poder de escolha antes. Mesmo nos séculos 18 ou 19 o poder de escolha era baixo. Além disso, no passado você precisava ser rica para comprar uma.
Depois da invenção da máquina de costura e dos tecidos sintéticos e da emancipação efetiva da mulher, no século 20, elas passaram a querer usar calcinhas e podiam comprar. Mulheres que ganham seu próprio dinheiro e tem poder de compra transformaram sua importância diante da indústria.

Aquilo que a mulher usa por baixo da roupa tem um significado todo especial para o universo masculino. Mas não apenas para ele. A calcinha, acredite, diz muito da história da mulher, representa sua trajetória e, mesmo escondidinha, não deixa de ser motivo de rostos corados, risadas e, às vezes, constrangimento.
A história dessa importante peça do vestuário - que tem pouco mais de dois séculos de existência - é descrita no livro "Por baixo do pano - a história da calcinha", da autora inglesa Rosemary Hawthorne (Matrix Editora).





Segundo ela, a calcinha apareceu pela primeira vez em 1800, quando a revolução havia mudado a França e, por consequência, toda a Europa.

O que as mulheres de diferentes épocas tinham por baixo da roupa.

1800

Primeiro modelo de calcinha

Surgidos na França, os calções ou pantaloons ficavam abaixo do joelho ou até o tornozelo e eram feitos de um tecido semelhante ao das meias.








1900
Combinações
A silhueta curvilínea pedia roupas de baixo menos volumosas. As combinações entre ceroulas e camisolas tornaram-se muito populares



1914 - 1918
Calçolas de tango
Para dançar o estilo mais popular na época da Primeira Guerra Mundial, foi necessária a confecção de calçolas especiais, que permitiam uma movimentação livre e desimpedida


1920

Camibocker

O conjunto de camisola de baixo e calçola em seda com botões nas costas era feito sob encomenda. O hábito de encomendar roupas de baixo sob medida era encorajado pelas lojas finas







1927



Baby-doll


Depois do fim da Primeira Guerra, as peças íntimas se tornaram mais leves e coloridas. Surgiram os modelos baby-doll: a antiga camisola de baixo e as calcinhas unidas numa única peça íntima







1940 - 1950
Caleçon
A modelagem mais usada nessa época era o caleçon, que, modificado, continua fazendo sucesso até hoje












1980 - 1990
Renda, seda, fio dental...
A partir da década de 1980, surgem as calcinhas mais elaboradas. Depois disso, o limite é a imaginação. O modelo ciclista da ilustração, da década de 1990, é ecológico. Fonte: Rosemary Hawthorne (historiadora de moda).




 




Postagens populares

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *